domingo, 30 de janeiro de 2011

Eu sou o cara louco
Sou o homem que encanta
O assassino cuidadoso
O bondoso quase santo

Tenho olhos diabólicos
E costumes estranhos
Tenho hálito quente
E desejos fervorosos

Sou a dor que tu carregas
E o que carrega a dor
Tenho um eterno e imenso ódio
Que se mistura ao amor

Tenho um tédio que irrita
Mas que cura facilmente
Com doses de visitas
De uma indecente

Sou a sede de mentir
E o pesar na consciência
Sou quem merece partir
Por tamanha displicência

Causo risos, causo dores
Ao viver velhos amores
Que de velhos só tem nome

3 comentários:

Déda disse...

gostei...............:)

Anônimo disse...

HAHAHA SEI BEM QUE É ESSE SEU VELHO AMOR

Anônimo disse...

Alo Victor! realmente eu amei suas idéias e sua maneira natural de escrever a rotina de sua maneira tao inteligente e natural! vc e um escrivão nato,intenso e sonhador,colorido e engraçado,um ser verdadeiro,amei seu estilo e maneira,nao pare,escreva um livro ou varios,vc e capaz, crônicas ,ideias e poemas. abcs Fernando Busco.

Postar um comentário